Grupo RIC comemora 30 anos de ações regionalizadas do Sul do país

Campanha de aniversário do grupo tem como mote as “Bodas de Pérola” e terá investimento total de R$ 5 milhões

 

O Grupo RIC, comemora três décadas de atuação e lança uma impactante campanha institucional com o mote de ‘Bodas de Pérola’, um conceito que remete à transformação do Grupo RIC com seu público a partir do conteúdo regional e relevante gerado pelas suas plataformas. A campanha está pautada em um manifesto que transmite a essência do Grupo RIC, esse compromisso com a credibilidade, informação regional e a imparcialidade, a partir de uma atuação inovadora e da expansão, sem abandonar sua missão de retratar a vida dos espectadores, se inspirar nessas pessoas e seguir em frente. O investimento na campanha é de R$ 5 milhões para os dois estados em que o Grupo atua, Paraná e Santa Catarina. “Nosso objetivo é trabalhar não só a trajetória de sucesso do Grupo RIC, mas também uma história que gere impacto na vida das pessoas de forma verdadeira, a ponto delas se sentirem parte dessa história. Queremos que o público se envolva emocionalmente por uma história de vida, de união, de transformação, de crescimento, de valores éticos e de sucesso, explica Michelle Reffo, gerente de marketing do Grupo RIC Paraná.

A comemoração não está apenas na conquista das três décadas de atuação, mas sim no sucesso e crescimento conquistados ao longo dessa trajetória, que agrega atualmente mais de 1.300 funcionários, 11 emissora de TV, três portais de internet, quatro emissoras de rádio, dois jornais impressos, duas editoras de revistas e uma plataforma jovem multimídia, que juntas atingem 16 milhões de pessoas no Paraná e em Santa Catarina e torna o Grupo RIC no maior grupo de comunicação do Sul do País. “Aliada à comemoração dos 30 anos do Grupo RIC, temos a meta de crescer 15% neste ano, superando o índice alcançado em 2016 que foi de apenas 5%, registrando um faturamento de R$ 230 milhões”, afirma Leonardo Petrelli, diretor executivo do Grupo RIC Paraná. Petrelli explica ainda que o Grupo investe fortemente na melhoria de suas diversas plataformas de conteúdo, além da digitalização das geradoras para garantir o sinal em HD das transmissões. Apenas em 2016 foi aportado R$ 20 milhões nesses projetos.

Com foco na programação regional, houve também a intensificação e qualificação do conteúdo local, além da maior agilidade na entrega nessas informações. “As pessoas estão mais interessadas com o que ocorre na sua região. Um indicativo disso é que mais de 50% do faturamento vem da programação regionalizada”, completa Petrelli.

História do Grupo RIC

O Grupo RIC começou a ser construído em 1975, com duas rádios (em Curitiba eJoinville). Desde então, os negócios evoluíram constantemente no Paraná e SantaCatarina, e a RIC se tornou o que é hoje: o maior grupo de comunicação do Sul doBrasil.

Após a entrada nas rádios em 1975, o fundador Mário Petrelli voltou-seprincipalmente à televisão. A primeira oportunidade surgiu em Santa Catarina, comuma concessão obtida em Chapecó – a TV Cultura, retransmissora da Tupi, em1976. O sinal entrou no ar em 1982, com o SBT, já que a Tupi saíra do ar enquantoa Cultura estava sendo estruturada. Petrelli começava seu projeto televisivoreforçando a filosofia de promover a divulgação de informação regional – o grandecarro-chefe do Grupo RIC até hoje.

Com o passar dos anos, o Grupo adquiriu diversos veículos de comunicação em Santa Catarina e no Paraná, passou por uma reestruturação na governança e colocou Leonardo e Marcello Petrelli como os executivos responsáveis pelas sedes do Grupo RIC no Paraná e Santa Catarina, respectivamente, e passou a atuar como uma empresa multiplataforma.

No Paraná, a entrada dos Petrelli no setor de televisões teve início por Cornélio Procópio, a 400 quilômetros da capital, com a aquisição da TV Vanguarda, que passou a retransmitir a programação da Manchete, que até então não chegava ao Paraná. Enquanto isso, em Santa Catarina, Petrelli entra com o SBT em Florianópolis (TV Estado).

Outra aquisição no Paraná seria a TV Independência de Curitiba, que se somaria à Rádio Independência, já em operação. Formava-se, em 1987, a Rede Independência de Comunicação. As emissoras do Paraná e de Santa Catarina começaram, então, a ser geridas de forma coordenada.

Com a falência da Manchete em 1999, a TV Independência passou a retransmitir o sinal da Record. Veiculando então duas bandeiras (SBT e Record), Leonardo e Marcello Petrelli, já então como executivos responsáveis pelo Grupo RIC em Santa Catarina e Paraná respectivamente, começaram a pensar em unificar o sinal das geradoras. A partir de 2007 as emissoras do Grupo RIC passam a transmitir o sinal da Record TV.

Notícias relacionadas

Grupo RIC lança campanha Antidrogas

Grupo RIC lança campanha Antidrogas